Radio Verdes Campos! É do seu jeito! - A melhor radio de Gramado, canela e Regiao

Solidariedade: voluntários trabalham para atender famílias desalojadas

59

A solidariedade é o que move centenas de voluntários e alguns estão trabalhando na cozinha da Casa Paroquial. Cerca de seis mulheres se revezam, desde o dia 1° de maio, para garantir café da manhã, almoço, lanche da tarde e jantar para as pessoas que precisaram sair de casa. A equipe conta também com voluntários que realizam as entregas.

São aproximadamente 55 famílias que, ao todo, contabilizam 208 pessoas, que estão desabrigadas em abrigos oferecidos pelo município. Segundo Janete Welter, coordenadora da equipe, por dia são servidas mais de 800 refeições. “Estamos cansadas, dormindo pouco, mas estamos muito felizes em poder ajudar nesse momento tão difícil”, afirma.

A voluntária conta que a ajuda vem de todos os lugares, tanto de empresas quanto de pessoas da comunidade. “Os canelenses, mais uma vez, mostram o quanto são solidários. Estamos emocionados com a generosidade da comunidade”, explica Janete.

As voluntárias, além de cozinhar, organizam toda a distribuição dos alimentos. Conforme Janete, estão chegando doações de marmitas prontas, o que é de grande ajuda, no entanto, é importante que entrem em contato para avisar que serão doadas. “Antes de levar alimentos prontos, pedimos que nos liguem, pois assim vamos preparar apenas o que é necessário, evitando o desperdício de comida”, alerta. O telefone para contato com a responsável pela distribuição é (51) 9 8533-3856.

Exemplos de solidariedade

Desde segunda-feira (6) os serviços realizados pela Defesa Civil contam com o apoio do bombeiro civil voluntário, Anderson Coelho. Morador de São Joaquim da Barra, em São Paulo, chegou ao Estado com a missão de ajudar os gaúchos. Após ver as notícias da tragédia climática que atinge o Rio Grande do Sul, decidiu contribuir com sua experiência e conhecimento.

O profissional relata estar preocupado com a situação, já que muitas famílias se recusam a sair de locais de risco. “Talvez seja por não querer ir para um abrigo ou para não deixar a casa por receio de alguma coisa. Fico preocupado”, afirma o bombeiro. Apesar de toda tensão, o voluntário afirma gostar do Município. “Fui muito bem acolhido. Minha mãe, minha esposa e filho ficaram mais tranquilos depois que eu contei como fui recebido aqui. O coração do gaúcho não tem explicação”, comenta Coelho.

Na manhã do sábado (11) a médica Gisiane Munaro, acompanhada da mãe Maria Munaro e do filho Giovani Munaro de Sois, levaram roupas, cobertores e brinquedos para doação. De acordo com Gisiane, esse é o momento de ajudar quem precisa e de dar o exemplo. “Meu filho tem 5 anos, estou ensinando por meio de ações. Lá em casa, tudo o que tinha dois, separamos um para doar”, afirma.

A percepção da médica sobre a resposta da comunidade frente aos problemas provocados pelas chuvas, é que todos estão engajados de alguma forma. “Precisamos fazer o outro sentir esperança, que as coisas voltarão a ser como antes, que tudo vai melhor”, ressalta.

Novo local para recebimento de doações

A partir deste sábado (11) a Defesa Civil conta com base operacional, na rua São Pessoa, 819. Dessa forma, com a centralização das doações, a organização e a logística de entrega a quem precisa serão mais eficientes.

As doações estavam sendo entregues no Salão Paroquial, espaço cedido pela Paróquia Nossa Senhora de Lourdes. Conforme Paulo Fabiano Telles, coordenador da Defesa Civil, e Marcelo Fogaça, assistente de logística, o apoio da entidade foi fundamental para atender a comunidade. “Agradecemos o suporte oferecido pela Paróquia nesse momento tão delicado que enfrentamos”, diz Telles.

O novo espaço está localizado na Rua João Pessoa, 819. Informações podem ser obtidas através do telefone (54) 99135-1949.

Comentários